Pastoral da Saúde - entrega de diplomas do curso II - abertura do Curso III - 12 de Fevereiro de 2008

 

O Sentido e a Linguagem do Sofrimento

 

Assinalando o Dia Mundial do Doente, teve lugar no Porto, na Casa Diocesana de Vilar, a 12 de Fevereiro, a sessão de encerramento do Curso de Pastoral da Saúde 2007 e de abertura do Curso de Pastoral da Saúde 2008, organizados pelo Secretariado Diocesano da Pastoral da Saúde e pelo Centro de Cultura Católica do Porto. A sessão, que reuniu cerca de 250 pessoas, contou com a presença de Américo Azevedo e Maria Goretti Silva, membros da Fraternidade Cristã dos Doentes Crónicos e Deficientes Físicos, da Dr.ª Maria do Rosário Rodrigues, presidente do referido Secretariado Diocesano, da Enf. Isabel Ribeiro, sua coordenadora de formação, do P. José Nuno, seu assistente, do P. Adélio Abreu, diretor do Centro de Cultura Católica, dos formandos de ambos os Cursos e de muitos que se vêm interessando pela Pastoral da Saúde diocesana.

O Curso de 2007 iniciou-se em Fevereiro do ano passado, tendo a sua fase letiva decorrido até Junho e a partir de Outubro a fase de estágio no lugar de inserção pastoral de cada formando. Frequentaram-no 45 alunos, 21 na valência de Cooperadores Voluntários de Capelania Hospitalar e 24 na de Visitadores Paroquiais de Doentes. O Curso agora iniciado, também com uma fase curricular e outra de estágio, destina-se a Ministros Extraordinários da Comunhão que se encontram ao serviço dos doentes e desenvolve-se em três polos: Porto (Torre da Marca), Paredes (Castelões de Cepeda) e São João da Madeira. Uma feliz coincidência quis que o início deste Curso especificamente para Ministros Extraordinários da Comunhão se cruzasse com a temática eucarística da mensagem de Bento XVI para o Dia Mundial do Doente, onde se refere que «a distribuição da Eucaristia aos enfermos, feita com decoro e com espírito de oração, constitui um verdadeiro conforto para quem sofre, angustiado por todas as formas de enfermidade» (n. 5). Os cerca de 150 inscritos no Curso refletem a crescente atenção à problemática da Pastoral da Saúde na Diocese do Porto e o esforço da organização do Curso em o aproximar das comunidades cristãs.

Após a oração inicial orientada por Américo Azevedo, a Dr.ª Maria do Rosário Rodrigues saudou os presentes e situou a sessão no contexto do Dia Mundial do Doente e do empenho do Secretariado Diocesano na formação de agentes de Pastoral da Saúde capazes, agradecendo aos que nessa formação vão colaborando.

Tomou em seguida a palavra o P. José Nuno para apresentar o livro Porquê justamente a Mim? de Arnaldo Pangrazzi, que as Edições Paulinas reeditam a abrir uma nova coleção dedicada às questões da saúde e da doença, sob o título Cuidar e Curar. Na apresentação abordou o tema Que dizer quando não há que dizer? Reflexões sobre o sentido e a linguagem do sofrimento, refletindo sobre o confronto do homem com o mistério da dor e do sofrimento no quadro da cultura contemporânea, que tende a escondê-los e tem dificuldade de falar deles, e apresentando-os como um desafio de comunicação entre quem sofre e Deus e entre quem sofre e aqueles que os acompanham.

Depois da entrega dos diplomas de frequência/conclusão do Curso de 2007, o P. Adélio Abreu felicitou os formandos que os receberam e deixou uma palavra de estímulo aos muitos que iniciam o novo Curso, congratulando-se por o Centro de Cultura Católica, enquanto espaço de convergência da formação cristã na Diocese do Porto, colaborar nestes projetos formativos, que vão contribuindo para que a Pastoral da Saúde adquira uma consistência própria na organização das comunidades cristãs e seja animada por fiéis competentes na missão que lhes é confiada.

Após o testemunho de Maria Goretti Silva, a sessão foi concluída com a oração final e com o contacto dos novos formandos com os coordenadores dos três polos. Dos formandos e formadores emanava o entusiasmo dum percurso de formação finalizado e de outro que se abre e cuja adesão compromete os formadores e enche de esperança este sector da pastoral diocesana.