Sessão de entrega de diplomas dos cursos de educação da sexualidade e acolher acompanhar

 

 

 

 

Hospitalidade, o modo humano de ser. Cuidar, o modo de existir humanamente,

na conferência do P. José Nuno

Decorreu no Centro de Cultura Católica do Porto (CCC), na noite de 29 de janeiro de 2013, a sessão de entrega de diplomas e certificados dos cursos de pastoral da saúde realizados ao longo do ano de 2012, numa organização do Secretariado Diocesano da Pastoral da Saúde (SDPS) e do CCC: o Curso de Educação da Sexualidade destinado à formação educadores de adolescentes e jovens no âmbito da educação da sexualidade; o Curso Acolher Acompanhar, destinado à formação de agentes pastorais com as competências necessárias para acolher e acompanhar pessoas em várias situações de fragilidade e tomada de decisão. Se o primeiro curso concluiu a sua quarta edição, o segundo consistiu numa proposta pensada de raiz e realizada pela primeira vez. No Curso de Educação da Sexualidade, inscreveram-se 22 formandos e concluíram-no com aproveitamento 19. No Curso Acolher Acompanhar, inscreveram-se 58 formandos. Frequentaram-no com a assiduidade requerida 47 formandos, 37 dos quais cumprindo os critérios de avaliação e obtendo aproveitamento.

Após a saudação inicial, a cargo de Isabel Ribeiro, coordenadora de formação do SDPS, o P. José Nuno Ferreira da Silva, assistente do mesmo Secretariado, proferiu uma conferência intitulada Hospitalidade, o modo humano de Ser. Cuidar, o modo de existir humanamente, que se encontra em registo áudio nesta página. Depois de situar o tema na relação com os dois cursos a partir da sua finalidade comum – o outro –, o P. José Nuno apresentou o tema, propondo-se «considerar a pessoa humana constitutivamente como ser de relação, em relação e para a relação, assumindo a hospitalidade como uma modulação ética do “ser” humano e o cuidar como modulação ética da sua existência». A sua abordagem passou sobretudo por visitar as páginas de duas obras de Carmine Di Sante, especialista na relação entre judaísmo e cristianismo, «em que o binómio eu/outro constitui a questão central: uma sobre a hospitalidade, outra sobre a responsabilidade».

O P. José Nuno teve assim oportunidade refletir sobre a hospitalidade, num percurso pela Sagrada Escritura, distinguindo, com aquele autor, a hospitalidade recetiva, “o humano acolhido”, e a hospitalidade ativa, “o humano acolhente”. Traçou também o quadro antropológico e ético dos dois cursos: «preparar agentes hospitaleiros para a hospitalidade». Num curso pretendeu-se formar para «acolher e acompanhar pessoas – o outro – nas várias experiências de fragilidade que, nas diversas etapas, condições e situações da vida, conhece». No outro, «preparar pessoas para educar adolescentes e jovens que, na descoberta de si mesmos como seres sexuados, descobrem na condição sexuada uma radical vocação para o outro diferente de si».

Após uma breve intervenção dos responsáveis pela formação de cada curso foram entregues os diplomas e certificados. Pelo Curso de Educação da Sexualidade falou Teresa Tomé Ribeiro, diretora científica e pedagógica, destacando o envolvimento dos formandos e o facto de «terem percebido que a sexualidade só tem sentido num contexto, no percurso de um projeto a dois na maior parte dos casos, ou num projeto em que nos entregamos com um amor maior». Pelo Curso Acolher Acompanhar, tomou a palavra Mário Ferreira, que coordenou a equipa formadora, parafraseando dois passos do evangelho – o bom samaritano e o encontro de Cristo com a mulher pecadora – que considerou chaves de leitura para o paradigma que orientou a formação, «o paradigma humanista rogeriano de inspiração profundamente evangélica».

A sessão foi encerrada com uma breve intervenção do P. Adélio Abreu, diretor do CCC. Depois de saudar os presentes e de se congratular com os cursos agora concluídos, fez uma retrospetiva sumária das ações de formação empreendidas no âmbito da pastoral da saúde pelo SDPS e pelo CCC de 2004 até ao presente. Realizaram-se desde então 11 cursos, de temáticas e duração diferenciadas, alguns com várias valências e com lecionação dispersa pelas regiões pastorais da diocese. Ao primeiro Curso de Pastoral da Saúde, iniciado em 2004 e concluído em 2007, de que dependeram muito a dinâmica e os formadores dos cursos seguintes, juntaram-se outros cursos com várias temáticas e destinatários: visitadores paroquiais de doentes; cooperadores voluntários de capelania hospitalar; ministros extraordinários da comunhão; visitadores pastorais em instituições de terceira idade; formação de educadores no âmbito da educação da sexualidade; Para uma Pastoral da Caridade; Acolher Acompanhar. Concluíram todas estas ações de formação com aproveitamento 847 formandos, a que se juntam 222 que cumpriram sem avaliação os critérios de assiduidade, perfazendo um total de 1069 formandos. Estes números refletem-se certamente na ação pastoral da diocese do Porto, nomeadamente nas paróquias, comunidades, movimentos, instituições de terceira idade, hospitais e escolas.

O entusiasmo dos presentes no final da sessão e as ressonâncias dos cursos informalmente partilhadas servem de incentivo a novas propostas e ao discernimento necessário tendo em vista o melhor aproveitamento daqueles que passaram pelas já realizadas.