Sessão Solene de Início do Ano Letivo 2011/2012

 

 

 

 

Sophia de Mello Breyner Andresen: Uma Poesia dos Confins, na comunicação do P. Emanuel Brandão de Sousa

Decorreu em ambiente festivo no sábado 15 de outubro, pelas 14.30 horas, a sessão solene de abertura do ano letivo 2011/2012 no Centro de Cultura Católica. Foi presidida por D. Manuel Clemente, Bispo do Porto, e contou com a presença de vários professores e alunos.

A sessão iniciou-se com a invocação do Espírito através da interpretação do Veni Creator Spiritus pelo Coro da Escola Diocesana de Ministérios Litúrgicos, dirigido por António Mário Costa. Seguiram-se algumas palavras de acolhimento a cargo do P. Adélio Abreu, diretor do Centro. Depois de saudar os presentes, enquadrou a sessão e o ano letivo no âmbito do lema A Urgência da Formação Cristã, inspirado na avaliação da Missão diocesana. As palavras iniciais serviram também para apresentar a situação do Centro, que no ano que começa conta com cerca de 30 professores e 170 alunos, distribuídos pelos diferentes cursos: Básico de Teologia - 68 alunos; Complementar de Formação de Catequistas - 4; Música Litúrgica (Preparatório, Geral e Salmistas) - 68; Acólitos - 16; Leitores - 14. Agradeceu ainda a colaboração dos secretariados diocesanos, a dedicação dos professores e a confiança que várias comunidades da diocese depositam no Centro, sublinhando o discernimento daquelas que, na dificuldade da atual conjuntura económica, mantêm como prioridade a formação dos seus membros.

Seguiu-se uma comunicação subordinada ao título Sophia de Mello Breyner Andresen: Uma Poesia dos Confins pronunciada pelo P. Emanuel Brandão de Sousa, pároco de Valadares e professor de Teologia no Centro, que partilhou com os presentes as intuições e conclusões da sua dissertação de doutoramento, defendida em Junho passado. Apresentou o limite como chave de leitura da obra de Sophia, sublinhando a tensão do limite como característica das suas figuras; tensão que se projeta na busca permanente do absoluto para além do humano. Sendo todos os seres humanos atravessados pelo limite, referiu que no humano há algo de central e interior, cópula que une corpo e espírito, tempo e eternidade. Nesta zona limítrofe, a transcendência rompe o seu mutismo. Referindo a liberdade e a esperança como elementos fundamentais da obra andresiana, apontou a abertura à transcendência como condição para a confiança e a esperança no futuro, ao qual liga Sophia o tema da ressurreição. Para que se pense uma justiça para a história, exige-se a ressurreição dos mortos como plenitude do tempo absoluto.

D. Manuel entregou os diplomas aos alunos que terminaram os seus cursos no último ano letivo. Terminaram o Curso Básico de Teologia os seguintes alunos: Adalberto David Oliveira Vieira (São Cosme - Gondomar); Álvaro António Oliveira Chaves (Arrifana - Santa Maria da Feira); António Casimiro da Silva Soares de Almeida (São Paio de Favões - Marco de Canaveses); António Dinis Salgado Pereira (Vilarinho - Santo Tirso); António Fernando Vilela Cardoso (Carvalhosa - Paços de Ferreira); António Gonçalves Rocha da Maia (Leça do Balio - Matosinhos); Armandino Taborda Rodrigues (Figueira - Penafiel); Armindo Fernandes da Silva (Roge - Vale de Cambra); Carlos Manuel Reis de Oliveira (Lobão - Santa Maria da Feira); Casimiro José Teixeira Marques (Corim - Maia); Daniel Joaquim Teixeira Basto (Matosinhos); Eduardo Mendes Saraiva (Arrifana - Santa Maria da Feira); Fernando José de Sousa Almeida (Aldoar - Porto); Jalmires da Conceição (São João de Ver - Santa Maria da Feira); João Domingos Ramos Ribeiro da Fonseca (Burgo - Arouca); Joaquim Carvalho Oliveira (Campelo - Baião); Joaquim Couto Vieira (Anta - Espinho); Jofre António da Costa Pedro (Coimbrões - Vila Nova de Gaia); José Guilhermino Jacob (Antas - Porto); José Joaquim Guimarães Angélico (Vilar do Paraíso - Vila Nova de Gaia); José Manuel Jesus Tavares (Espinho); José Pinheiro Vieira (Carregosa - Oliveira de Azeméis); José Rodrigues da Conceição (Oleiros - Santa Maria da Feira); Manuel Augusto da Silva Maia (Avintes - Vila Nova de Gaia); Manuel Francisco Martins dos Santos (Romariz - Santa Maria da Feira); Manuel Marques Magalhães (Santa Maria de Lamas - Santa Maria da Feira); Manuel Pereira Marques (Ossela - Oliveira de Azeméis); Maria do Céu Silva Vieira (Paraíso - Castelo de Paiva); Paulo Alexandre Tato Diogo (Matosinhos). Terminaram o Curso de Acólitos os seguintes alunos: Diana Janete da Cunha Semblano (Oliveira de Azeméis); Ricardo Jorge Costa Tavares (Oliveira de Azeméis). Terminaram o Curso de Leitores os seguintes alunos: Hugo Miguel Bastos Silva (Oliveira de Azeméis); Manuela Maria Pureza Isaías (Santo Ildefonso - Porto); Maria Eulália Pereira França da Silva Maia (Avintes - Vila Nova de Gaia); Rosa Fernanda Martins da Silva (São Cosme - Gondomar). Terminou o Curso Música Litúrgica Samuel Pimenta Pinto (Comunidade da Serra do Pilar - Vila Nova de Gaia).

D. Manuel fez então uso da palavra para expressar a sua gratidão pelo trabalho realizado no Centro e estimular os seus professores e alunos. Referiu-se à formação como uma necessidade muito sentida nas comunidades cristãs, colocando-a em sintonia com o projeto da Conferência Episcopal Portuguesa que apela a repensar, retomar e recriar a formação. Após mencionar a exigência que decorre da necessidade de transmitir a formação aos outros, aludiu ao programa pastoral do ano a nível diocesano, centrado na juventude e na família.

A sessão solene foi encerrada com uma breve intervenção musical dos alunos do Curso de Música Litúrgica. Samuel Pimenta Pinto interpretou ao órgão o Prelúdio em dó menor de J. S. Bach (BWV 456, 1) e o Coro da Escola Diocesana de Ministérios Litúrgicos cantou o Abendlied de J. G. Rheinberger.