Sessão Solene de Início do Ano Letivo 2019/2020

 

 

 

 

«A música litúrgica é parte integrante da própria liturgia enquanto acompanha o rito ou, por vezes, é rito em si mesma»

Emanuel Pacheco na abertura do ano letivo 2019/2020

Realizou-se no sábado, 19 de outubro, a sessão solene de início do ano letivo do Centro de Cultura Católica (CCC), sob a presidência de D. Manuel Linda, bispo do Porto. Compareceram vários professores e alunos, a que se juntaram familiares, sacerdotes e amigos, sobretudo daqueles que concluíram os seus cursos no ano letivo anterior e receberam os seus diplomas.

Após a interpretação de Veni Creator Spiritus pelos alunos do Curso de Música Litúrgica, dirigidos pelo professor Daniel Ribeiro, o P. Adélio Abreu, diretor do CCC, saudou os presentes, enquadrou a sessão e o ano letivo no âmbito do lema Aprofundar a experiência fundante da fé, inspirado na exortação pós-sinodal Christus vivit e em relação com o plano diocesano no que se refere à iniciação cristã. Apresentou ainda a situação atual do CCC, que no ano que começa conta com cerca de 30 professores e 111 alunos, distribuídos pelos diferentes cursos: Básico de Teologia - 49 alunos; Complementar de Formação de Catequistas - 0; Acólitos - 12; Leitores - 9; Música Litúrgica (Preparatório, Geral e Salmistas) - 41. Dos 26 alunos inscritos na formação em Iconografia Cristã, 8 fazem-no só nesta formação e os restantes em conjunto com outro curso. À soma total referida podem ainda acrescentar-se os 20 alunos que frequentaram em julho passado o 2º ano do Curso de Verão de Música Litúrgica, se bem que a sua presença no CCC seja mais pontual e intensiva.

Os finalistas do Curso de Música Litúrgica proporcionaram então ao órgão um momento musical. Rodrigo Oliveira e José Miguel Silva interpretaram obras de J. S. Bach, e Ana Rita Paupério um prelúdio coral de J. Brahms.

Seguiu-se a conferência prevista para a sessão, confiada ao professor Emanuel Pacheco, diretor do Serviço Diocesano de Música Litúrgica, que abordou o tema A música na liturgia. Partindo da constatação de que todos os que celebram a fé convivem com a música na liturgia, mesmo se desadequada, começou por referir o que não é a música litúrgica. Ela, de facto, não é um adorno ou uma música que inebria ou entretém. É antes parte integrante da própria liturgia enquanto acompanha o rito ou, por vezes, é rito em si mesma. Procurando apresentar positivamente a música litúrgica, socorreu-se da constituição conciliar Sacrosanctum Concilium nos números dedicados a este assunto. Teve assim oportunidade de sublinhar o apreço pela tradição musical, a vinculação da música litúrgica à palavra de inspiração bíblica ou oriunda das fontes litúrgicas, a função ministerial da música na liturgia, a participação ativa e competente de todos os intervenientes, a imprescindível formação musical e litúrgica em instituições previstas para o efeito, o lugar dos vários géneros litúrgicos, o órgão como instrumento mais adequado à liturgia e os outros instrumentos passíveis de serem usados ou necessariamente a evitar, a construção de um reportório de música para a liturgia e a valorização daquele que entre nós se foi formando no seguimento do II Concílio do Vaticano. Outras achegas foram fornecidas tendo em conta a evolução destes e de outros aspetos do Concílio aos nossos dias, acompanhadas de exemplos clarificadores.

 De seguida, D. Manuel Linda entregou os diplomas aos alunos que terminaram os seus cursos. Em 2018/2019, concluíram a sua formação 6 alunos do Curso Básico de Teologia, 4 do Cursos de Acólitos, 1 do Curso de Leitores, 1 do Curso de Salmistas e 3 do Curso de Geral de Música Litúrgica.

D. Manuel Linda fez então uso da palavra para saudar os presentes e para deixar uma palavra de agradecimento e de incentivo. O agradecimento partiu do reconhecimento do já longo percurso do CCC na tarefa da formação cristã na sua dimensão mais intelectual e de preparação para o exercício dos ministérios. Reconhecendo a qualidade da formação científica e técnica ministrada, agradeceu a todos os que fizeram ao longo de 55 anos um centro de excelência, de modo que podemos hoje colher a herança do passado, atualizada com nova força e projetando-a para o futuro. No que se refere ao incentivo, deixou dois desafios à missão do CCC: o desenvolvimento de uma cultura de reflexão e de pensamento na resposta a uma cultura de massas que privilegia a emotividade e o imediato em detrimento do aprofundamento das questões; a formação litúrgica que concilie a qualidade das celebrações com a capacidade de a todos incluir, de modo a responder ao abandono silencioso das nossas assembleias orantes.

A sessão foi encerrada com a interpretação de Jesu, Rex admirabilis de Palestrina pelo coro dos alunos do Curso de Música Litúrgica.